sexta-feira, 29 de setembro de 2006

DESCAMINHOS...


É carnaval... Tá chegando a hora...


******


Se deteve e se olhando no espelho, pensou que não vislumbrava nenhum amanhã, nenhuma estrela no céu. Ao redor, um fogo cruzado... nenhum ladrão, apenas um cara cansado da vida de beberrão.

Foi olhando pró passado, tentando pegar o fio da meada:

- Como começara o DEScaminho?
- Onde ficou o caminho "certo" agora sem volta?
- Como chegou à fase da sua rebelde revolta?

De mão em mão foi saindo de garoto para rapaz, crescendo num "ringue" familiar, entre repressão e agressão de pai violento e gritos desanimados da mãe, tida por juízo mole de "beldade alienada" e que acabou seus infortunados dias num hospício, por paixão proibida numa desnuda madrugada.


Quase adulto, inconsiente, levando sua incerteza pra mesa dos bares. Se sentia como a visita de "mais de três dias" na casa do próprio pai. Mesmo assim, teve uma educação esmerada e imposições rígidas como se fosse "UM" da casa. Como se fosse... Mas não era.

Tomando pé da situação, tornou-se rebelde, de maus fígados, repudiando tudo e todos. Daí que o que conseguiu foi apenas companhias algo duvidosas e negócios bem obscuros e, do dia prá noite, se viu de copo na mão: de whisky a vinho, de cerveja a cachaça... tanto fazia. Quem fora sempre ninguém, se sentia agora o senhor do seu destino...(!!!)

Ontem, chorou por um pedaço de carinho. Hoje, chora as marcas do passado. Parou na sua contramão, ávido da vida que lhe era devida. Com insensatez, cogitou descer até ao suicídio. O vício era tão pesado quanto a sua nostalgia.

Com alguma facilidade geme saudades. Depois suspira desespero. Se o acaso o tenta, simula desprezo e indiferença. Ou mesmo impiedade. Agora se esforça para dedilhar imagens empilhadas no espelho opaco e rebusca as trilhas dos erros que não aceita e abala a alma possuída pelo desejo de seduzir a todos, dificilmente consegue explicar o que não tem explicação.

De súbito o espelho reflete a sua imagem nua, caminhando pelas ruas... A semi-inconsciência de nudez também foi repentina e o constrangimento, terrível... Se sentia como um fantasma de alguém que ainda não morreu, talvez fosse a idéia menos absurda... Depois, permaneceu de cócoras durante horas, sem se mexer, sem saber o que fazer. Enfim, uma resignação desesperada arde no semblante quando levanta novamente o olhar e se sente vagueando por entre as pessoas, as quais continuavam a lhe ignorar.

Não sentia frio, pois um sol só 'seu' soprava os raios sobre si, embora um vento frio coberto de núvens, escurecesse o seu caminho... No entanto, o constrangimento era cada vez maior. Experimentando um desejo louco ao se vestir da sua embriaguez. Na sua mente assombrações sobrepõem-se ao seu sóbrio desassossego.

Os sentimentos de inferioridade, indecência e indignidade, voltavam. A vergonha que sentia dos outros, se ampliou e passou a esmagá-lo sob a forma de uma dolorida vergonha de si mesmo.

O constrangimento se transformou em medo, desamparo, amargura e abandono. Nenhum indício de motivação, alento ou desejo de mudar... Uma nuvem escura confundia-lhe as idéias. Restava apenas um oceano vazio onde afogava mágoas cobertas por uma tempestade de desesperança.

Continuava a sua busca incessante, caminhando às cegas, sem que desaparecessem os suplícios... o sofrimento era cada vez maior. O jeito era encarar tudo ao redor, observando os lugares onde poderia ser encontrado: bares, restaurantes, açougues, cinemas, parques de diversões e... "nos matadouros de sonhos".

Como o detetive que apresenta o seu relatório, diz isso mesmo: Quando aparecem vestígios de vícios terríficos...uma pessoa não assumida, é quase certo que ela utiliza toda a energia e capacidade mental para atingir uma única finalidade: esconder-se de si mesma... por entre os descaminhos!

***
No carnaval de complexos sentimentos, cada um procura se fantasiar de cada qual. É como a desconfiança quando se "traveste" de amizade, buscando incessantemente pela clarividência da realidade inconstante...

***
É carnaval... Tá chegando a hora... é carnaval... tá chegando.....


Anna "ricocheteando" farpas da vida




7 comentários:

NO_PANICO disse...

ola parabens, muito bom suas cronicas, interessantissimo, vou estar sempre acompanhando por aqui.....

Quiron disse...

Beleza, gostei de sua palavras, vc tem boas ideias.

Arauto da Ria disse...

Ana! Qul do seu sítios será melhor?
Amanhã vou ler tudo e depois dou-lhe a minha modesta opinião.
Hoje aqui já é tardissimo como sabe.
Um beijo.

Vera disse...

Olá Anna! Obrigada pelo convite! Este cantinho é realmente maravilhoso, encantador!
Escreves de uma forma divina, sente-se cada palavra tua!
Beijo grande

100smog lda. disse...

obg pelas suas palavras!!!! FANTASTICO AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ E AFINAL É TÃO PEQUENO!!!ficamos contentes que arranjamos uma "cumplice" do outro lado do mundo e que está aqi tão perto!!! vamos manter contacto e se possivel venha nos visitar!!!! nãos e esqueça de te registares na mailing list no nosso site!!!! foi um prazer e uma surpresa !!!!

Miss São Paulo disse...

Oi amigaaaa, quanto tempo eu não vinha aqui hein? Você com esses belos textos sempre, nos fazendo pensar...
Olha vim te avisar que voltei a postar no meu bloguinho viu.
Não adianta, não consigo abandonar aquilo ali hihi, beijo.

www.danielavitrolinha.blogger.com.br

Anna D' Castro disse...

Oi amigos, bem vindos a este "nosso" Cantinho!
Obrigada por todas as palavras de carinho.
Farei o possível para ter sempre uma qualidade diversificada de assuntos, para que cada um possa apreciar à sua maneira.
Voltem sempre, serão sempre muito bem vindos
Beijos em vossos corações