quinta-feira, 25 de janeiro de 2007

DISTÂNCIA

Ponte sobre o Rio Tejo - Lisboa
Cristo-Rei - Almada

Assim como uma estrada, a vida que vivemos também apresenta curvas, atalhos, pontes, partes difíceis de atravessar, partes serenas e prazerosas...

Também existem em nosso caminho o que poderíamos comparar aos postos de atendimento: pessoas que nos ajudam nos momentos de dificuldades nessa estrada. Pessoas que abastecem nosso coração com a força que nos empurra para a frente, pessoas que estabelecem conosco a troca que nos equilibra...
Cada vez que precisamos dar uma paradinha, percebemos que já caminhamos muito. Que pessoas importantes (aquelas que cativaram verdadeiramente nosso coração) ficaram lá para trás.


Algumas estão geograficamente tão distantes, que não vislumbramos a menor possibilidade em revê-las. Pessoas que passaram por essa nossa estrada e deixaram um pouco do que elas são, nos transformando... e levaram um pouco do que nós somos, sendo transformadas também...

Pessoas que, num breve fechar de olhos, podemos enxergar o brilho autêntico de seus próprios olhos.
Notamos também, que nos distanciamos muito de lugares que marcaram bons momentos de nossa caminhada pela vida. Lugares que ficaram com o som, com a luz, com o calor, com o cheiro e com a fantasia de um passado eternamente vivo em nossas lembranças...
Nesse momento respiramos profundamente e olhamos para a frente: a estrada continua. Muito temos ainda a caminhar. Muito temos a desfrutar da beleza que é viver! Muito temos a saborear das delícias em ousar e conhecer.
Olhamos para os lados: não estamos sozinhos!
Muitas pessoas também especiais estendem suas mãos para que caminhemos juntos até o momento de um cruzamento que as leve em outra direção que as estradas da vida costumam levar. Aceitemos os desafios! Vamos juntos até onde a vida nos levar. Afinal, esse pode ser um rico momento guardado em nossas lembranças ,quando estivermos muito distantes, na próxima parada!
Nossa prática durante essa semana será observarmos atentamente quem está ao nosso lado nessa estrada pela vida. Tornarmos a distância entre nós cada vez mais curta.
Nos aproximarmos realmente. Participarmos... Compartilharmos...
Já estendemos nossas mãos? Então, o que estamos esperando?



Anna recolheu esta farpa da Distância - www.valever.com

11 comentários:

DE PROPOSITO disse...

Deixar só uma saudação
Um beijinho
Manuel

http://br.geocities.com/familia_castanheira/index.html

Penso que não é a mesma coisa , mas logo falamos

MARIA VALADAS disse...

OLá Ana...foi com imenso prazer que recebi a sua visita no meu " cantinho", e as suas palavras elogiosas emocionaram-me!

Obrigada!

Já a tenho nos favoritos... amanhã voltarei para me pronunciar sobre a matéria que li por alto!

Volte sempre!

Beijos da
Maria

DE PROPOSITO disse...

Olá.
estive lendo o texto.
Creio que o mesmo é um retratar se saudades, sem dizer 'tenho saudades'.
Desejo-te um bom domingo.
e um beijinho para ti.
Manuel

Alexandre disse...

Está tudo descrito nas palavras deste post... está ali a vida toda, a vida de todos nós, quer queiramos ou não: a nossa vida é uma estrada, cheia de viadutos, pontes, semáforos, curvas, muitas curvas, sentidos únicos, sentidos proibidos, contramão... muitos outros seguindo no nosso sentido, com maior ou menor velocidade, e muitos outros ainda se cruzando connosco sem nos olharem...

Anna D' Castro disse...

Olá amigos, bem vindos.
Obrigada Manuel pelas dicas, muito bom..
Em relação ao texto é mais ou menos isso... Sentir saudades é normal, ser saudosista é outra história...
E não adianta estar sempre se debatendo com as saudades, pois enquanto houver alguma distância entre dois mundos que a gente ama, a saudade se faz presente...
Mil beijos pra ti

Anna D' Castro disse...

Oi Maria, estou esperando a sua volta...
Obrigada pela visita. Fiquei encantada com o seu cantinho.
Vou voltar.
beijokas

Anna D' Castro disse...

É verdade Alexandre, a vida toda se traduz em pensamentos, palavras e pontes com suas curvas e contracurvas... Por vezes derrapamos, mas a vida continua, que essa não pode parar nem se preocupar com distâncias e saudosismos...
Obrigada por sua visita. Adorei o seu espaço, muito interessante.
Volte sempre
Um beijão

Vera disse...

A vida é realmente uma estrada onde nos deparamos com algumas curvas, alguns buracos, alguns acidentes.
Mas temos que viver, seguir em frente, com as saudades no coração e na alma!
Não há longe nem distância para os verdadeiros amigos e para o amor!

Beijinhos

MARIA VALADAS disse...

Há muita maneira de dizer " tenho saudade"...sem falar!

Um olhar melãncólico...um semblante
triste e olhando no vácuo...tudo isso pode ser uma manifestação de saudades de algo ou alguém!

Gostei bastante do conteúdo do texto!

Serei visita contínua neste " cantinho...tão especial!

Bom fim de semana...

Beijos da
Maria

Prosa Mineira disse...

Querida amiga, Anna! Aceite minha mão estendida!
Parabéns pela linda crônica.
Obrigada por suas palavras carinhosas em meu blog. Venha sempre!
Beijo terno,
Maria Lúcia

Anna D' Castro disse...

Meus amigos, tenho estado viajando e portanto ausente da NET.
Agora que estou de volta, estou com dificuldades de postar alguns pensamentos.
Já atualizei minhas contas mas mesmo assim não está fácil.
É apenas uma justificação para a falta de trabalhos novos na minha página.
Mas vou continuar tentando...
meu beijo a todos